Até tu Brutus?

novembro 18, 2008

Olá! Acordou bem hoje? Mesmo voltando do final de semana? Foi bom o seu dia?

Eu não acordei muito emolgado em começar o dia. Acordei um pouco atrasado, tomei um banho e fui colocar umas músicas no meu mp4, para escutar(faz sentido, pensei que você tinha colocado as músicas para olhar apenas). Olhei para o relógio e já estava atrasado. Nisso me lembrei da Ale que esses dias comentou que era para eu avisar, que dependendo do dia ela me dava carona. Mas achei que já era tarde. Nisso o meu celular toca. Era ela me ligando perguntando se eu queria carona. Nessa hora pensei: “tenho que me benzer”. Aceitei e disse que já estava indo no ponto esperar a carona.

Ao terminar o percurso vasto da passarela, quase que sincronizado a carona chega. Estranhei o carro, pois era o carro novo que a mae dela havia comprado. No caminho conversamos sobre a prova do vestibular de ontem que ela havia também feito.

Cheguei na faculdade com antecedência e mandei uma mensagem para o Caio, dizendo que já estava o esperando na cantina. Eu havia sido intimado pelo Caio para “matar” a aula de circuitos para estudar para a prova de Cálculo 3.

Minutos depois ele chega e vamos estudar para a prova. Faltava pouco conteudo para ser estudado. Faltava: Integrais de linha em campos vetoriais e Teorema de Green. Em meio a conversas, divagações e risadas estudamos o conteudo. Passamos trote para nossa amiga Leticia que certa hora apareceu na cantina e se juntou a nós por alguns minutos.

Fomos para a prova um tanto quanto confiantes. A prova era composta por 6 questões. Não vou descrevê-las aqui por 2 motivos: não lembro na na íntegra delas e isso poderia deturpar seu sentido; seria um tanto quanto sacal para você que veio saber como foi meu dia(talvez não – sentido duplo aqui).

Almoçamos novamente em bando no Buffet Avenida. Na volta passamos em uma loja noja de intrumentos musicais: Zero db. Muito boa a loja. Atendentes simpáticos e prestativos e podíamos “provar” os intrumentos.

Na saída da loja lembrei de comprar um encordoamento novo para meu violino. Assim fomos para mais uma loja comprar o tal encordoamento. Não era muito longe desta.

Ao voltar para a UTFPR descemos no DCE para pegar um violão. Depois de um tour pela universidade tocando “Para não dizer que não falei da flores” do Geraldo Vandré, aquietamo-nos no bosque onte tocamos de Chico Buarque, em especial Geni e o Zepellin, à músicas próprias e Metallica.

Fomos a uma reunião acadêmica do curso, onde é vulgarmente conhecida como “lavação de roupa suja”. Uma reunião onde podemos colocar nosso ponto de vista e nossa críticas sobre o curso. Reclamamos sobre muitas coisas e elogiamos outras. Uma reunião que não era para demorar muita pelo escopo da coordenação, mas que pela gente demora um certo tempo.

Fui para o LAC(laboratório onde trabalho), ver e-mails e mexer em um programa chamado XFuzzy . Implementei algumas regras que estava precisando e entendi melhor o programa.

Sai para comprar um suco e acompanhar a Letícia e quando volto o Renato já havia ido embora. Fiquei mais alguns minutos no laboratório e vim para casa também.

Decidi andar um pouco mais para pegar um onibus um pouco mais vazio. Perdi 2 ônibus, mas peguei um ônibus não tão vazio, mas que tinha um cantinho para eu me “afofar”. Tão logo começou a viagem, eu comecei a dormir. Lembro que acordei uma hora de sobressalto e acho q acordei com um ronco, emitido por mim mesmo. Para evitar a vergonha fingi não ser comigo e voltei a dormir. Acordei outra hora quando minha cabeça caiu de solavanco.

Cheguei em casa minha mãe já havia feito a janta: sopa de ervilha e para quem quisesse complementar, arroz com peito de frango. Comi dos dois e vim para o quarto colocar o novo encordoamento. Toquei um pouco para lasciar as cordas e por que é legal tocar em corda nova. É como quando você usa um tênis novo: você tem um pouco de dó de usar, para não sujar. Ele não é o melhor tênis ainda por que ainda não lasciou e se ajeitou ao desenho do seu pé, mas tem potencial para ser.

Depois aproveitei o surto e fui continuar “Qual o Caminho – A História” . Fiz um novo episódio e espero que você depois de ler esse pos leia e comente lá. Ou se já leu e comentou, muito obrigado.

É, acho que foi isso meu dia.

Por que esse título para o post?
Por que o Caio é uma pessoa quieta, um tanto quanto metódica e que raramente falta,”mata”, aulas. E ontem foi ele quem tomou a iniciativa de “matar” a aula de circuitos para estudar Cálculo 3. Grande Caio.

Um abraço pra ti. Boa noite. Durma bem e tenha uma ótima semana. Até amamnhã!
PS.:Não esqueça de ler a história!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: